Zoneamento agrometeorológico da moringa para o Estado de Pernambuco em condições atuais e projeções futuras

Autores

  • Ailton Alves Carvalho Universidade Federal Rural de Pernambuco http://orcid.org/0000-0001-8783-649X
  • Abelardo Antônio de Assunção Montenegro Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Célia Silva Santos Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Thieres George Freire Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco/Unidade Acadêmica de Serra Talhada

DOI:

https://doi.org/10.24221/jeap.2.3.2017.1419.194-202

Palavras-chave:

indicadores climáticos, agroclimatologia, oleaginosa.

Resumo

A Moringa oleifera Lam. tornou-se, ao longo dos anos, uma importante alternativa potencial no semiárido brasileiro, apresentando grande potencial em face da multiplicidade de usos na pecuária e agricultura. Diante da importância da moringa para produção comercial de produtos e subprodutos oriundos do seu cultivo, a sua expansão em outros locais com características favoráveis ao seu desenvolvimento torna-se desejável. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi realizar o zoneamento agroclimático para identificar áreas de maior aptidão para o cultivo da moringa no Estado de Pernambuco. Constatou-se, a partir do cruzamento das informações climáticas, que 39,77% da área do estado apresentou condições adequadas ao cultivo da moringa no cenário atual, 79,69% no B2 e 98,59% no A1F1. Constatou-se que as áreas Aptas com Irrigação Complementar (AIOB), foram de 27,73%, 37,70% e 41,86% no cenário atual, B2 e A1F1, respectivamente. As áreas totalmente aptas ao cultivo estão localizadas, no sertão e no agreste do estado, e com as projeções de mudanças climáticas em relação a restrição térmica ocorrerá o aumento de áreas aptas ao longo de todo estado. Entretanto, as áreas zoneadas com restrição térmica não impossibilita o cultivo da moringa, no entanto reduz o máximo potencial produtivo da cultura. As com restrições hídricas, o incentivo pelo uso de irrigação e reuso pode favorecer a obtenção de bons rendimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ailton Alves Carvalho, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Bacharel em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal Rural de Pernambuco / Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UFRPE/UAST), no período de 2009-2013. Mestre em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), no período de 2014-2015. Atualmente, doutorando no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Desenvolve pesquisa na área de irrigação associado ao uso da agrometeorologia e dados de umidade do solo em diferentes condições de uso e manejo hidrológico em bacia hidrográfica, com destaque para o uso de cobertura morta para conservação da água e do solo. Trabalha com técnicas de geoestatística, balanço de água no solo e reuso de água na agricultura. Além do mais, acompanha experimentos na área de instrumentação meteorológica e climatologia agrícola.

Abelardo Antônio de Assunção Montenegro, Universidade Federal Rural de Pernambuco

possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco (1985), mestrado em Hidráulica e Saneamento São Carlos pela Universidade de São Paulo (1989) e doutorado em Water Resources - University of Newcastle Upon Tyne (1997). Tem pós-doutorado em modelagem hidrologica pelo Centre for Ecology and Hydrology de Wallingford, Inglaterra (2008). Pesquisador Visitante da Universidade Federal de Viçosa-MG, em 2011, desenvolvendo estudos em Geoestatística Aplicada. Pesquisador Visitante da Universidade de Coimbra, Portugal, em 2012, abordando investigações hidrológicas e hidrossedimentológicas com chuvas simuladas. É professor titular da Universidade Federal Rural de Pernambuco, e membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola da UFRPE. Tem experiência na área de Recursos Hídricos e Engenharia Agrícola e Ambiental, com ênfase em Irrigação e Drenagem, atuando principalmente nos seguintes temas: semi-árido, manejo de bacias hidrográficas, hidrologia experimental e numérica, hidráulica, saneamento e reuso de águas de qualidade inferior, dessalinizadores e aproveitamento integrado de concentrados, conservacao de agua e solo, geoestatística, salinidade, aluviões e agricultura familiar. Foi Coordenador Geral de Pesquisa da UFRPE entre 2014 e 2016.

Célia Silva Santos, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Doutoranda em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (2015 em andamento), Mestre em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (2015), possui Graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Alagoas - Campus Arapiraca (2013) e Técnico Agrícola pela Escola Agrotécnica Federal de Satuba-AL (2006). Tem experiência na área de Agronomia, Recursos Hídricos e Engenharia Agrícola, com ênfase em Manejo de Irrigação, atuando principalmente nos seguintes temas: salinidade,avaliação de sistema de irrigação, coeficiente de culturas hortícolas e oleaginosas, reúso agrícola, semiárido, conservação de água e solo.

Thieres George Freire Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco/Unidade Acadêmica de Serra Talhada

Thieres George Freire da Silva é professor Adjunto IV da Área de Meteorologia Aplicada à Ciências Agrárias, Ambientais e Exatas. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq, na Área de Ciências Ambientais e sub-área de Agrometeorologia/Micrometeorologia, desenvolve estudos voltados à "Pesquisas (Agro)meteorológicas aplicadas à Produção do Setor Agropecuário e Mitigação dos seus Impactos no Sertão Central do Brasil". Lotado na Universidade Federal Rural de Pernambuco, Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UFRPE/UAST), tem formação em Engenharia Agronômica (2000-2004, Universidade do Estado da Bahia, Campus Juazeiro - BA, UNEB/DTCS) com mestrado (2005-2006) e doutorado (2006-2009) em Meteorologia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (UFV/DEA). Lidera o Grupo de Pesquisa do diretório do CNPq "GAS - Grupo de Agrometeorologia no Semiárido" (http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/3832266182260423). Além disso, coordena o "Sistema CAAM-DES-AT" no Sertão Central do Brasil (Área de estudo da Caatinga, Plantas CAM e áreas em Desertificação, em interação com a ATmosfera) e o Centro de Referência Internacional de Estudos Agrometeorológicos de Palma e Outras Plantas Forrageiras. É Professor dos Programas de Pós-graduação em Produção Vegetal pela UFRPE/UAST e em Engenharia Agrícola pela UNIVASF, bem como co-orienta estudantes de mestrado e doutorado em outras instituições de Ensino (UFV, UFPE, UFRPE/Sede). Possui parcerias de projetos com a Embrapa, IPA (Instituto Agronômico de Pernambuco) e USP, e tem experiência em Agrometeorologia com ênfase à Grandes Problemas Globais ou Regionais (Desmatamento, Avanço de Fronteiras Agrícolas com destaque para Plantas CAM e Culturas de Ampla Ocupação, Mudança do Uso do Solo e Desertificação). Atua nas linhas de pesquisa de Interação Biosfera-Atmosfera em Ambientes Agrícolas e Naturais, Produção de Forragem em Ambiente sob Pressão Abiótica, Processos Hidrológicos do Semiárido e Modelagem Aplicada à Sistemas Agropecuários. Embora trabalhe em várias áreas e linhas de pesquisa, incluindo plantas C3 e C4, o referido professor se considera Agrometeorologista de Ambientes em Desertificação e de Cactáceas como espécies remediadoras da disponibilidade de forragem e atenuadoras dos impactos antrópicos e naturais sobre o clima de regiões áridas e semiáridas. Atuou como membro Titular do Conselho Técnico Administrativo da UFRPE/UAST (2010-2012), da Comissão de Pesquisa da UFRPE/UAST (2013-2014) e do Colegiado de Coordenação Didática (CCD) do Curso de Graduação em Agronomia (interstício 2013-2015). Faz parte do CCD da Pós-graduação em Produção Vegetal (desde 2011), da Comissão de Infraestrutura da UAST/UFRPE (interstício 2014-2016), e é membro suplente do Conselho Técnico Administrativo da UFRPE/UAST (2014-2016) e Presidente da Comissão de Bolsas e Desempenho Discente do PPGPV. Possui em andamento orientações de mestrado e doutorado (PGPV/CAPES/FACEPE; PGEA/UNIVASF/FAPESB; UFV/CNPq/CAPES/FAPEMIG), de Iniciação Científica (PIBIC/UFRPE/CNPq, PET/CAPES; PROGEST/UFRPE, BIA/UFRPE) e de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC/UAST/UFRPE). É Supervisor de pesquisadores em Estágio Pós-doutoral no PPGPV. Participa como revisor e, ou, editor de área de periódicos científicos. É Assessor científico da FAPESP. Faz parte de Comitês Externos de Avaliação de Programas Institucionais de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC). Participa de Comitês de Eventos Científicos (SINPROVS, JEPEX, etc.). Tem experiência com gerenciamento de projetos financiados pelo CNPq e FACEPE. Atualmente é Vice-Coordenador do Programa de Pós-graduação em Produção Vegetal (UFRPE/UAST) e o Vice Presidente e Diretor Científico do XX Congresso Brasileiro de Agrometeorologia, que será realizado em Juazeiro-BA/Petrolina-PE, entre 14 e 18 de agosto de 2017. Contatos: e-mails por ordem de frequência de acesso - thieres_freire@yahoo.com.br, thieres@pq.cnpq.br, thigeoprofissional@hotmail.com, thieres.silva@ufrpe.br. Fone: (87) 3929-3205 (PPGPV/UAST/UFRPE).

Referências

ABRANTES, J. R. C. B. O.; LIMA, J. L. M. P.; MONTENEGRO, A. A. A. 2015. Desempenho da modelagem cinemática do escoamento superficial para chuvas intermitentes em solos com cobertura morta. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. v. 19, n.1, p. 166-172.

BEZERRA, A. M. E.; MOMENTÉ, V. G.; MEDEIROS FILHO, S. 2004. Germinação de sementes e desenvolvimento de plântulas de moringa (Moringa oleifera Lam.) em função do peso da semente e do tipo de substrato. Horticultura Brasileira, v. 22, n. 2, p. 295-299.

BORGES, T. K. S.; MONTENEGRO, A. A. A.; SANTOS, T. E. M.; SILVA, D. D.; SILVA JUNIOR, V. P. 2014. Influência de práticas conservacionistas na umidade do solo e no cultivo do milho (Zea mays L.) em semiárido nordestino. Revista Brasileira de Ciência do Solo. v.38, n.6, p. 1862-1873.

CÁCERES, A.; FREIRE, V.; GIRÓN, L. M.; AVILÉS, O.; PACHECO, G. 1991. Moringa Oleifera (Moringaceae): etnobotânical studies in Guatemala. Economic Botany, v.45, n.4, p.522-523.

GARDIMAN JÚNIOR, B. S.; MAGALHÃES, I. A. L.; FREITAS, C. A. A.; CECÍLIO, R. A. 2012. Análise de técnicas de interpolação para espacialização da precipitação pluvial na bacia do rio Itapemirim (ES). Revista Ambiência. V. 8, n.1 p. 61- 71.

GASPARINI, K. A. C., FONSECA, M. D. S., PASTRO, M. S., LACERDA, L. C., SANTOS, A. R. 2015. Zoneamento agroclimático da cultura do açaí (Euterpe oleracea Mart.) para o estado do Espírito Santo. Revista Ciência Agronômica, v.46, p.707 - 717.

GAZA. 2007. Cidadão Solidário. Moringa: Folhas Nutritivas. Guarantina. Disponível em: “http://www.cidadaosolidario.org.br/Moringa/CultivodaMoringa.pdf” [Acesso em: 03 feveveriro de 2017].

GUIRRA, F. 2008. Moringa e o biodiesel: 1001 Utilidades. Biodiesel br. V.8, p.30-34.

IPCC. 2013. Intergovernmental Panel on Climate Change. Climate change 2013: The Physical Science Basis. Contribution of working group I to the Fifth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change. Cambridge University Press, Cambridge, United Kingdom and New York, NY, USA. 1552p.

MONTEIRO, J. M. A. 2007. Plantio de oleaginosas por agricultores familiares do semi- árido nordestino para produção de biodiesel como uma estratégia de mitigação e adaptação às mudanças climáticas. 2007. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro-RJ. 302 f.

MONTENEGRO, A. A. A.; ABRANTES, J. R. C. B. O.; DE LIMA, J. L. M. P.; SINGH, V.; SANTOS, T. E. 2013. Impact of Mulching on Soil and Water Dynamics under Intermittent Simulated Rainfall. Catena, v. 109, p. 139-149.

MORAIS, J. E. F., SILVA, T. G. F., BARBOSA, M. L., SILVA DINIZ, W. J., SOUZA, C. A. A., JARDIM, A. M. D. R. F., FERREIRA, J. M. S. 2015. Impactos das mudanças climáticas na demanda hídrica e duração do ciclo do sorgo forrageiro e feijão caupi no estado de Pernambuco. Revista Brasileira de Geografia Física. v.08, p.542- 559.

NÓBREGA, R. S.; FARIAS, R. F. L.; SANTOS, C. A. C. 2015. Variabilidade temporal e espacial da precipitação pluviométrica em Pernambuco através de índices de extremos climáticos. Revista brasileira de meteorologia, v. 2, p. 171-180.

OLIVEIRA, I. C.; TEIXEIRA, E. M. B.; GONÇALVES, C. A. A.; PEREIRA, L. A. 2009. Avaliação centesimal da semente de moringa oleifera Lam. In: II Seminário Iniciação Científica – IFTM, Campus Uberaba, MG.

PARROTTA, J. A. 1993. Moringa oleifera Lam. Resedá, horseradish tree. New Orleans, LA: U.S. Department of Agriculture, Forest Service, Southern Forest Experiment Station. 6p.

POSSAS, J.; CORREA, M. M.; MOURA, G. B. D. A.; LOPES, P. M.; CALDAS, A. M.; FONTES JÚNIOR, R. V. D. P. 2012. Zoneamento agroclimático para a cultura do pinhão-manso no Estado de Pernambuco. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.16, n.9, p.993–998.

SANTANA, C. R.; PEREIRA, D. F.; ARAUJO, N. A.; CAVALCANTI, E. B.; SILVA, G. F. 2010. Caracterização Físico-Química da Moringa (Moringa oleifera Lam), Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.12, n.1, p.55-60.

SANTOS, C. S. 2015. Conservação de solo e água em unidade de reuso do semiárido para proteção ambiental, produção agrícola e inclusão social. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, Pernambuco, Brasil. 131p.

SILVA, A. O.; MOURA, G. B. A.; KLAR, A. E. 2014. Classificação climática de Thornthwaite e sua aplicabilidade agroclimatológica nos diferentes regimes de precipitação em Pernambuco. Brazilian Journal of Irrigation and Drainage - Irriga, v. 19, n. 1, p. 46.

SILVA, T. G. F.; MOURA, M. S.; SÁ, I. I.; ZOLNIER, S.; TURCO, S. H., SOUZA, L. S. 2010. Cenários de mudanças climáticas e seus impactos na produção leiteira em estados nordestinos. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.14, n.8, p.863–870.

TEIXEIRA, C. M. L. L.; KIRSTEN, F. V.; TEIXEIRA, P.C.N. 2012. Evaluation of Moringa oleifera seed flour as a flocculating agent for potential biodiesel producer microalgae. Journal of Applied Phycology, v. 24, p. 557-563.

Publicado

2017-07-31