Análise comparativa da umidade da vegetação de áreas de caatinga preservada, agricultura irrigada e sequeiro

Pedro Vinícius da Silva Brito, Ygor Cristiano Brito Morais, Henrique dos Santos Ferreira, Jadson Freire da Silva, Josiclêda Domiciano Galvíncio

Resumo


O uso não planejado dos recursos do bioma caatinga vem provocando diversos processos de degradação ambiental, os quais interferem negativamente sobre sistemas físico-naturais e biológicos da região semiárida. Sendo assim, o presente estudo teve como objetivo analisar as diferenças de parâmetros biofísicos em áreas de caatinga preservada e degradada, bem como das áreas de agricultura irrigada e sequeiro. Foram utilizadas duas imagens do satélite Landsat 8 – Sensor OLI, correspondentes aos dias 22/05/2016 e 17/01/2017. Nas quais foram aplicados os cálculos de refletância, NDVI e NDWI. Os resultados mostraram uma diferença nos valores de NDVI e NDWI entre as imagens de 2016 e 2017 de acordo com os diferentes tipos de vegetação. As áreas de caatinga apresentaram predominância de valores de NDVI de 0,4 a 0,6. Os perímetros irrigados destacaram-se por apresentar NDVI e NDWI maiores do que nas áreas de caatinga e de sequeiro. Tais diferenças entre os dias analisados resultaram da ausência e/ou baixa quantidade de precipitação nos meses que antecederam os dias de imageamento. Quanto à agricultura irrigada, esta apresentou a maior disponibilidade de água, o que influencia diretamente na atividade fotossintética das plantas e no conteúdo de água presente na no solo.

Palavras-chave


Semiárido. Parâmetros Biofísicos. Vegetação.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ALLEN, R.; TASUMI, M.; TREZZA, R. Satellite-Based Energy Balance for Mapping Evapotranspiration with Internalized Calibration METRI —Model. Journal of Irrigation and Drainage Engineering, New York, v. 133, p. 380-394, 2007.

ALLEN, R. et al. SEBAL (Surface Energy Balance Algorithms for Land). Advanced Training and Users Manual – Idaho Implementation, version 1.0. 2002.

AMORIM, I. L. B.; SAMPAIO, E. V. S.; ARAÚJO, E. L. Flora e estrutura da vegetação arbustivo-arbórea de uma área de caatinga do Seridó, RN, Brasil. Acta Botânica Brasílica, v.19, n.3, p.615-623, 2005.

ANDRADE, M. CORREIA DE. A terra e o homem no Nordeste: contribuição ao estudo da questão agrária no Nordeste. 7. ed. São Paulo, BRA: Editora Cortes, 2005. p. 334

ÁVILA, L. F.; MELLO, C. R. de; SILVA, A. M. da. Continuidade e distribuição espacial da umidade do solo em Bacia Hidrográfica da Serra da Mantiqueira. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 14, n. 12, p. 1257-1266, 2010.

BERNARDO, S.; SOARES,A. A.; MANTOVANI, E. C. Manual de Irrigação.8. ed. Viçosa: UFV, 2006. 625 p.

CHANDER, G; MARKHAM, B. L; HELDER, D.L. Summary of current radiometric calibration coefficients for Landsat MSS, TM, ETM+ and EO-1 ALI sensors. Remote Sensing of Environment, New York, v. 113, p. 893–903, 2009.

DNIC. Distrito de Irrigação Nilo Coelho. Disponível em: . Acesso em: 26 jan. 2014.

HASSAN, Q. K. et al. A wetness index using terrain-corrected surface temperature and normalized difference vegetation index derived from standard MODIS products: an evaluation of its use in a humid forest-dominated region of eastern Canada. Sensors, Basel, v. 7, n. 10, p. 2028-2048, 2007.

IBGE. Manual Técnico da Vegetação Brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro, BRA: IBGE, 2012. p. 275

KURC, S. A.; BENTON, L. M. Digital image-derived greenness links deep soil moisture to carbon uptake in a creosotebush-dominated shrubland. Journal of Arid Environments, London, v. 74, n. 5, p. 585-594, 2010.

MMA- Ministério do Meio Ambiente. Monitoramento dos biomas brasileiros: bioma Caatinga. Brasília: MMA, 2010.

OLIVEIRA, T. H. de et al. Índice de umidade (NDWI) e análise espaço-temporal do albedo da superfície da bacia hidrográfica do rio Moxotó-PE. Revista Brasileira de Geografia Física, Recife, v. 3, n. 2, p. 55-69, 2010.

PONZONI, F. J.; SHIMABUKURO, Y. E. Sensoriamento remoto no estudo da vegetação. São José dos Campos: Parêntese, 2009. 136 p.

QUARANTA, G. Agricultura de sequeiro. Lucinda: Land Care in Desertification Affected Areas, 1999. (Série C, 4).

ROUSE, J.W. et al. Monitoring vegetation systems in the great plains with ERTS. In: Earth Resources Technology Satellite-1. In: SYMPOSIUM, 3, 1973, Washington. Proceedings… Whashington: NASA. v.1, 1973. p. 309-317.

SÁNCHEZ, N. et al. Combining remote sensing and in situ soil moisture data for the application and validation of a distributed water balance model (HIDROMORE). Agricultural Water Management, Amsterdam, v. 98, n. 1, p. 69-78, 2010.

SILVA, B. B. et al. Procedures for calculation of the albedo with OLI-Landsat 8 images: Application to the Brazilian semi-arid. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 20, n. 1, p. 3–8, 2016.

TROVÃO, D. M. B. M. et al. Variações sazonais de aspectos fisiológicos de espécies da Caatinga. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 11, n. 3, p. 307-311, 2007.

WEI, Y. et al. Estimating soil moisture in semi-arid region by remote sensing based on TM data. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON MULTIMEDIA TECHNOLOGY (ICMT), 2010. Ningbo: IEEE, 2010. p. 1-5.




DOI: https://doi.org/10.24221/jeap.2.4.2017.1481.493-498

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Pedro Vinícius da Silva Brito, Ygor Cristiano Brito Morais, Henrique dos Santos Ferreira, Jadson Freire da Silva, Josiclêda Domiciano Galvíncio

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Obra licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.