Análise microbiológica em goma de tapioca industrializada

Autores

  • Neide Kazue Sakugawa Shinohara Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Tecnologia Rural
  • Maria do Rósario de Fátima Padilha Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Tecnologia Rural
  • Indira Maria Estolano Macêdo Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Kessia Catarina Barboza de Lima Nascimento Centro Universitário Uninassau
  • Mario Vila Nova Campos Faculdade Integrada do Recife - FACIPE
  • Carine Ádila Cunha Melo Campos Universidade Federal de Pernambuco- UFPE

DOI:

https://doi.org/10.24221/jeap.3.2.2018.1854.226-231

Resumo

A goma de tapioca, derivado da mandioca é um produto isento de glúten, culturalmente há grande consumo no Nordeste brasileiro e tem aumentado junto a outras regiões brasileiras. O objetivo desse estudo foi avaliar os parâmetros de qualidade das gomas de tapioca comercializadas na Região Metropolitana do Recife/PE. Foram adquiridas 16 amostras de goma de tapioca em supermercados e realizados os ensaios para detecção de coliforme termotolerante; Bacillus cereus; Salmonella sp.; Contagem Total de Mesófilos; Bolores e Leveduras e Bactérias Láticas. Do total, três amostras apresentaram coliforme termotolerante, onde foram encontrados valores acima da concentração permitida para comercialização. Quanto aos outros patógenos investigados, todas as amostras de gomas apresentaram conformidade dentro de parâmetros previstos em lei. Um achado interessante foi à presença de bactérias láticas em todas as amostras, porque o crescimento deste microrganismo favorece a conservação da goma de tapioca, pela habilidade em produzir ácido láctico, composto que inibe o crescimento da microbiota acompanhante, dentre estes os microrganismos patogênicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Neide Kazue Sakugawa Shinohara, Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Tecnologia Rural

Departamento de Tecnologia Rural nas áreas de microbiologia de alimentos e ambiental.

Indira Maria Estolano Macêdo, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Referências

AOAC: Association of Official Analytical Chemists. Official Methods of Analysis of AOAC International. 2000, 17th edition.,Arlington,.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Aprovar o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade dos Produtos Amiláceos Derivados da Raiz de Mandioca. Instrução Normativa n°23 (2005). Disponível: Acesso:15 de março de 2018.

BRASIL. Ministério da saúde (MS). Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Resolução RDC nº 12 de 02 de janeiro de 2001. Regulamento Técnico Sobre Os Padrões Microbiológicos para Alimentos. Diário Oficial. Brasília, DF. 10 de janeiro de 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde (MS).Comissão Nacional de Normas e Padrões para Alimentos. Resolução - CNNPA nº 12, de 1978.

BRASIL. Resolução RDC nº 263, de 22 de setembro de 2005. REGULAMENTO TÉCNICO PARA PRODUTOS DE CEREAIS, AMIDOS, FARINHAS E FARELOS". ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

DOMENE, S. M. A. 2011. Técnica Dietética: Teoria e Aplicações. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Disponível em: https://www.embrapa.br/mandioca-e-fruticultura/cultivos/mandioca. Acesso em: 21 de fevereiro de 2018.

FRANCO, R. M. 2012. Agentes Etiológicos de Doenças Alimentares. Niterói: Editora UFF.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/economicas/agricultura-e-pecuaria/9201-levantamento-sistematico-da-producao-agricola.html?&t=resultados. Acesso em: 20 de fevereiro de 2018.

IBGE. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Rio de Janeiro, v.30, n.1 p.1-81 janeiro. 2017.

KOVESI, B., SIFFERT, C., CREMA, C., MARTINOLI, G., 2007. 400g: Técnicas de Cozinha. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

MARTINS, L. M. O., MARTINS, W. M. O. 2011. Parâmetros De Qualidade De Amêndoas De Castanha Do Brasil Comercializadas Em Rio Branco – ACRE. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial. v. 05, n. 02: p. 542-549,.

MOTTA, A. S.; GOMES, M.S.M. 2015 Propriedades Tecnológicas e Funcionais de Bactérias Láticas: A importância destes microrganismos para alimentos. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, v. 70, n. 3, p. 172-184.

RODRIGUES, E. B, ARAÚJO, A. M., SOBRAL, F. O. S., ROMÃO, N.F. 2015. Avaliação da Presença de Bolores e Leveduras em Farinha de Mandioca (manihotesculentacratz) Comercializadas a Granel em Feiras Livres do Município de Ji-Paraná-RO.South American Journal of Basic Education, Technical and Technological, v. 2, n. 2.

SÁ S. A. C. A., JÚNIOR, S. P. O., DORES, M. T., VISÔTTO, SILVA, L. E., C. R. 2017. Avaliação Das Condições De Aeração Do Pré- Inóculo Utilizado No Cultivo De Bactérias Ácido Láticas (Bal) Em Meio Líquido. The Journal of Engineering and Exact Sciences – JCEC.Vol. 03 N. 06 p. 0835-0840.

SANT'ANA, A.S; CONCEIÇÃO, C.A; PERDOMO, D.R. 2002. Comparação Entre os Métodos Rápidos Simplate RTPC- CI e Petrifilm RAC e os métodos convencionais de contagem em placas para a enumeração de aeróbios mesófilos em sorvetes. REV. Food Science and Technology, 22(1), 60-64.

SHINOHARA, N. K. S., XIMENES, G. N. C., CORTES, N. M. S., SHINOHARA, G. M., PADILHA, M. R. F. 2017. Pesquisa de Fungos em Farinha de Trigo Comercializada na Região Metropolitana do Recife-PE. Revista Nutrição em Pauta. v.7, n 39, 43-46p.

TACO. Tabela Brasileira de Composição de Alimentos. 4.ed. 2011. Online. Disponívelem:<http://www.unicamp.br/nepa/taco/contar/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf>arquivo=taco_4_versao_ampliada_e_revisada.pdfAndgt. Acesso em: 09.10.2017.

UIARA, MARTINS; CARLOS, COSTA;BAPTISTA, M.M 2017. A Valorização da Gastronomia Tradicional no Contexto Turístico: O Caso da Tapioca em Fortaleza. Turismo: Estudos & Práticas. vol. 6 (número especial), 127-146p.

Publicado

2018-04-24