Aptidões climáticas: caju, palma forrageira e milho no município de São Bento do Una-PE, Brasil

Autores

  • Raimundo Mainar Medeiros Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Jaqueline Campos Nunes Universidade Catolica de Pernambuco
  • Romildo Morant de Holanda Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Manoel Vieira de França Universidade Federal Rural de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.24221/jeap.3.3.2018.1996.310-318

Palavras-chave:

Evapopluviograma, regime pluvial, deficiência e excedente hídrico.

Resumo

A aptidão climática propõe caracterizar os elementos meteorológicos que mais atuam no comportamento das culturas e, que em suas condições extremas, venham interferir sensivelmente o crescimento e desenvolvimento da planta. O estudo objetivou determinar a aptidão climática, visando identificar o potencial produtivo das culturas do cajueiro, palma forrageira e milho, com base em indicadores de clima, considerando a variabilidade natural do regime pluviométrico, estabelecida de acordo com a exigência da cultura, utilizou-se do método adotado para obtenção do balanço hídrico climático foi o proposto por Thornthwaite & Mather (1948, 1955), com elaboração de planilhas eletrônicas realizadas por Medeiros (2016) que contabiliza a água do solo, em que a precipitação representa ganho e a evapotranspiração perda de umidade do solo, podendo-se estimar os valores correspondentes ao Excedente Hídrico (EXC) e Deficiência Hídrica (DEF). Com base nesta metodologia foi estimada a capacidade de armazenamento de água disponível no solo (CAD) de 100 mm Os dados pluviométricos foram adquiridos da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste e da Agencia Pernambucana de Água e Clima para o período entre de 1920 e 2016. Para o plantio de larga escala é necessário um planejamento adequado para a utilização de cultivares mais resistentes as temperaturas e os índices de umidade, visto a escasseeis de água no município, assim como as chuvas são de distribuição temporal irregular, fazendo que o solo fique com saldo negativo de água durante seis a sete meses do ano. Recomenda-se que a cultura do milho seja utilizada como cultura de cerqueiro e sua adaptação esta condicionadas ao plantio dentro da quadra chuvosa.

Biografia do Autor

Raimundo Mainar Medeiros, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Departamento de Engenharia Ambiental

Jaqueline Campos Nunes, Universidade Catolica de Pernambuco

Laboratori de pesquisa

Manoel Vieira de França, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Departamento de Engenharia Ambiental

Referências

ALDRICH, S. R.; SCOTT, W. O.; LENG, E. R. 1982. Modern corn production. 2 ed. Champaign: A&L Publication. 371p.

ALVES. W. S. 2014.As interações espaciais e o clima urbano de Iporá-GO. 122 p. Dissertação (Mestrado em Geografia) UFG/CAJ, Jataí-GO.

AGUIAR, M. J. N.; SOUSA NETO, N. C.; BRAGA, C. C.; BRITO, J. I. B.; SILVA, E. D. V.; SILVA, F. B. R.; BURGOS, N.; VAREJÃO-SILVA, M. A.; COSTA, C. A. R. 2000. Zoneamento pedoclimático para a cultura do cajueiro (Anacardium occidentale L.) no Nordeste do Brasil e Norte de Minas Gerais. Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tropical/ Recife: Embrapa-CNPS-ERP-NE, 30p. (Embrapa Agroindústria Tropical. Boletim de Pesquisa, 27).

ALVARES, C. A.; STAPE, J. L.; SENTELHAS, P. C.; GONÇALVES, J. L. M.; SPAROVEK, G. 2014. Köppen's climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, v. 22, p. 711–728.

APAC. 2016. Agência Pernambucana de Água e Clima.

BERGAMASCHI, H. 2004. Distribuição hídrica no período crítico do milho e produção de grãos. Pesq. agropec. bras., v. 39, p. 831-839.

EMBRAPA. 2012. Aptidão climática do Estado de Alagoas para culturas agrícolas. Relatório Técnico. Convênios SEAGRI-AL/Embrapa Solos n. 10200.04/0126-6 e 10200.09/0134-5. Recife: Embrapa Solos. 86p.

KÖPPEN, W.; GEIGER, R. 1928. “Klimate der Erde. Gotha: Verlag Justus Perthes”. Wall-map 150cmx200cm.

LAMEPE. 2005. Laboratório de Meteorologia do Estado de Pernambuco.

MENDONÇA, J. C.; SOUSA, E. F.; BERNARDO, S.; DIAS, G. P.; GRIPPA, S. 2003. Comparação entre métodos de estimativa da evapotranspiração de referência (ETo) na região Norte Fluminense, RJ. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 7, n. 2, p. 275-279.

MARENGO, J. A.; SOARES, W. R.; SAULO, C.; NICOLINI, M. 2004. Climatology of the low-level Jet East of the Andes as Derived from NCEP-NCAR Reanalyses: Characteristics and Temporal Variability. Journal of Climate, v. 17, n. 12, p. 2261-2280.

MEDEIROS, R. M. 2016. Planilhas do Balanço Hídrico Normal segundo Thornthwaite e Mather (1955). s.n.

MEDEIROS, R. M. 2016. Fatores provocadores e/ou inibidores de precipitações no estado do Pernambuco.

MEDEIROS, R. M.; SILVA, J. A. S.; SILVA, O.; SILVA, A.; MATOS, R. M.; BALBINO, D. P. 2013. Balanço hídrico climatológico e classificação climática para a área produtora da banana do município de Barbalha, CE Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, v. 7, n. 4, p. 258-268.

MEDEIROS, R. M.; MATOS, R. M.; SILVA, P. F.; SILVA, J. A. 2015. Caracterização climática e diagnóstico da aptidão Agroclimática de culturas para Barbalha-CE. Enciclopédia Biosfera, , v. 11, n. 21, p. 461-476.

OLIVEIRA, V. H.; MONTENEGRO, A. A. T.; CARBAJAL, A. C. R.; MESQUITA, A. L. M.; AQUINO, A. R. L.; FREIRE, F. C. O.; OLIVEIRA, F. N. S.; ARAÚJO FILHO, G. C.; PAIVA, J. R.; PAZ, J. S.; PARENTE, J. I. G.; MOSCA, J. L.; BARROS, L. M.; CRISÓSTOMO, L. A.; PESSOA, P. F. A. P.; SILVEIRA, S. S. 2003. Cultivo do cajueiro. Fortaleza-CE. EMBRAPA Agroindústria Tropical. Fortaleza-CE.

OMETTO, J. C. 1981. Bioclimatologia vegetal. São Paulo: Ceres.

PEREIRA, A. R.; ANGELOCCI, L. R.; SENTELHAS, P. C. 2007. Meteorologia Agrícola. Departamento de Ciências Exatas, p. 173, Piracicaba, SP.

ROLIM, G. S. 2007. Classificação climática de Köppen e de Thornthwaite e sua aplicabilidade na determinação de zonas agroclimáticas para o estado de São Paulo. Revista Bragantina, v. 66, n. 4, p. 711-720,

SANTOS, G. O.; HERNANDEZ, F. B. T.; ROSSETTI, J. C. 2010. Balanço hídrico como ferramenta ao planejamento agropecuário para a região de Marinópolis, noroeste do estado de São Paulo. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, v. 4, n. 3, p. 142-149.

SEVERINO, R. P. 2008. Busca de produtos naturais como inibidores específicos de enzimas. Tese (Doutorado em Ciências – Química Inorgânica), Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

SUDENE. 1990. Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste - Dados pluviométricos mensais do Nordeste – Série pluviometria 5. Estado do Pernambuco. Recife, 239p.

SOUSA, I. F.; SILVA, V. P. R.; SABINO, F. G.; NETTO, A. O.; SILVA, B. K. N.; AZEVEDO, P. V. 2008. Evapotranspiração de referência nos perímetros irrigados do estado de Sergipe. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 14, n. 6, p. 633-644.

SOUSA, N. M. N.; DANTAS, R. T.; LIMEIRA, R. C. 2015. Influência de variáveis meteorológicas sobre a incidência do dengue, meningite e pneumonia em João Pessoa-PB. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 22, n. 2, p. 183-192.

THORNTHWAITE, C. W. 1948. An approach towards a rational classification of climate. Geographical Review, v. 38, p. 55-94.

THORNTHWAITE, C. W.; MATHER, J. R. 1955. The water balance. Publication in Climatology N° 8, Laboratory of Climatology, Centerton, N. J. 1955.

TOLEDO, J. V.; MARTINS, L. D.; KLIPPEL, V. H.; PEZZOPANE, J. E. M.; TOMAZ, M. A.; AMARAL, J. F. T. 2009. Zoneamento agroclimático para a cultura do pinhão manso (Jatropha curcas L.) e da mamona (Ricinus communis L.) no estado do Espírito Santo. Agropecuária Científica no Semi-Árido, v. 5, p. 41-51.

VAREJÃO-SILVA, M. A.; BARROS, A. H. C. 1984. Zoneamento de aptidão climática do Estado de Pernambuco para três distintos cenários pluviométricos. Recife: COTEC/DATA AGROS/SPRRA-PE, (Relatório Técnico).38p.

VIEIRA, J. P. G.; SOUZA, M. J. H.; TEIXEIRA, J. M.; CARVALHO, F. P. 2010. Estudo da precipitação mensal durante a estação chuvosa em Diamantina, Minas Gerais. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 14, p. 762-767.

WOLLMANN, C. A.; GALVANI, E. 2013. Zoneamento agroclimático: linhas de pesquisa e caracterização teórica-conceitual. Sociedade e Natureza, v. 25, p. 179-190.

Publicado

2018-07-31