Configuração da Prática como Componente Curricular nos Cursos de Química da UFGD

Autores

  • Vivian dos Santos Calixto Universidade Federal da Grande Dourados
  • Neide Maria Michellan Kiouranis Universidade Estadual de Maringá

Palavras-chave:

Formação de Professores, PCC, Currículo

Resumo

Neste artigo, inicialmente, apresentamos as compreensões produzidas a partir da análise de alguns dos documentos oficiais, que vem ao longo das décadas determinando a organização curricular dos cursos de formação de professores, no contexto brasileiro. Após apresentação dessa breve linha histórica, construída por meio da compreensão dos documentos oficiais, abordamos os processos inerentes à investigação, via análise documental, dos Projetos Pedagógicos de Curso (PPC), dos cursos de Química da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Nessa investigação buscamos compreender como as 400 horas mínimas de Prática como Componente Curricular (PCC) foram implementadas na matriz curricular dos cursos de Química desta instituição. Por meio da análise documental percebemos duas formas de configuração da PCC nos PPC, uma exclusiva, ou seja, com componentes curriculares com carga horária exclusivamente destinada a PCC e outra mista, com a carga horária de PCC diluída em outros componentes curriculares. Por meio do processo de investigação dos PPC percebemos a importância da presença de profissionais da área da Educação Química nas discussões acerca das possibilidades de implementação da PCC, pois a medida com que esses profissionais foram sendo inseridos nos cursos houve outras configurações para o espaço da PCC na matriz curricular.

Downloads

Publicado

2017-12-31

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa