A utilização de águas de qualidade inferior na agricultura irrigada | The use of lower quality water in irrigated agriculture

Raquele Mendes Lira, Alexandre Nascimento dos Santos, Jucicléia Soares da Silva, Janice Maria Coelho Barnabé, Marcone da silva Barros, Hammady Ramalho e Soares

Resumo


RESUMO:

A água é um recurso natural essencial a vida no planeta, e devido ao aumento populacional e uso desordenado este bem está cada vez mais escasso. O Brasil é um país privilegiado em termos de recursos hídricos, porém sua distribuição é bastante irregular. No Nordeste brasileiro as condições hídricas são desfavoráveis, apresentam altas taxas de evapotranspiração durante todo ano, baixa precipitação, um subsolo em muitos lugares com água salobra ou formação de cristalino e o baixo desenvolvimento econômico-social. Com o crescimento demográfico faz-se necessário intensificar a produção de alimentos e a agricultura é o setor que mais consome água superficial no mundo, logo, é necessário a adoção de práticas alternativas de cultivo. O reuso de águas residuárias para fins agrícolas pode favorecer o desenvolvimento dessa região, trazendo um aumento de área cultivada e produtividade. Portanto, deve-se atentar para a segurança alimentar tendo a consciência da forma de tratamento do esgoto e quais culturas podem ser irrigadas com estes tipos de água.

ABSTRACT:

Water is a natural resource essential to life on the planet, and due to population growth and uncontrolled use this well is increasingly scarce. Brazil is a privileged country in terms of water resources, but its distribution is very irregular. In Northeast Brazil the water conditions are unfavorable, have high rates of evapotranspiration throughout the year, low rainfall, a basement in many places with brackish water or formation of crystalline and low economic and social development. With the population growth it is necessary to intensify production of food and agriculture is the sector that most consumes surface water in the world, so the adoption of alternative farming practices is necessary. The reuse of wastewater for agricultural purposes may favor the development of this region, bringing an increase in cultivated area and productivity. Therefore, attention should be paid to food security in the knowledge of the form of sewage treatment and which crops can be irrigated with these types of water.


Palavras-chave


efluente doméstico, escassez hídrica, irrigação.

Texto completo:

PDF

Referências


ABDELLAH, A. R.; ASHBOLT, N. J. Innovative Production treatment hydroponic farm for primary municipal sewage utilization. Water Resource, v. 34, No 3, p. 825-834, 2000.

ANDRADE NETO, C. O. O uso do filtro anaeróbio para tratamento de esgoto sanitário. Revista meio filtrante, Ano IV, n.19, 2006.

ANDREOLI, C. V.; PEGORINI, E. S.; TAMANINI, C.R. Parâmetros para normatização do reuso agrícola. In: Workshop uso e reuso de águas de qualidade inferior. Realidades e Perspectivas, Campina Grande, 2005, anais... Campina Grande, PB 2005.

AUGUSTO, L.G.S.; GURGEL, I.G.D.; CÂMARA NETO, H.F.; MELO, C.H.; COSTA, A.M. O contexto global e nacional frente aos desafios do acesso adequado à água para consumo humano. Revista ciência e saúde coletiva, v. 17, n. 6, p. 1511-1522, 2012.

AYERS, R.S.; WESTCOT, D.W. A qualidade da água na agricultura. Campina Grande: UFPB, p. 97-119, 1999. Tradução de: Water quality for agriculture.

BARBIER, J. M.; CAMBON- GRAU S, Baisse des consommations d´eau: identifications des causes. Tech Sci Methode, v.95, n.6, p.46-64, 2000.

BARTONE, C.R.; ARLOSOROFF, S. Irrigation Reuse of Pond Effluents in Developing Countries. Wat. Sci.Tech, v.12, n.19, p.289-97, 1987.

BASTOS, R.K.X. (Org.) Utilização de esgotos tratados em fertirrigação, hidroponia e psicultura. PROSAB 3, Rio de Janeiro: ABES, 2003. 267 p.

BISWAS, A.K. “ The Role of Wastewater Reuse in Planning and Management”. In: Biswas, A.K., Arar, A. (Ed.) Treatment and Reuse of Wastewater. Londres, Butterworths, 1988.

BNDES, Banco Nacional para o Desenvolvimento Econômico e Social. Informe Infra-Estrutura nº16, Tratamento de Esgotos: Tecnologias Existentes. Novembro, 1997. Disponível em: http://www.bndes.gov.br/conhecimento/Infra/g7416.pdf. Acesso em: 19 de Junho de 2015.

BROWN L. R. O desafio das águas – UMA – Universidade Livre da Mata Atlântica 2001. Disponível : www.wwiuma.org.br, consulta em 15/07/15.

CAPRA, A.; SCICOLONE, B. Emitter and filter for wastewater reuse by drip irrigation. Agricultural Water Management, Amsterdam, v.68, n.2, p.135-149, 2004.

CARMO, R.L.; OJIMA, A.L.R.O.; OJIMA, R.; NASCIMENTO, T.T. Água virtual, escassez e gestão: O Brasil como grande exportador de água. Ambiente & sociedade. Campinas, v.X, n.1, p.83-96, 2007.

CEBALLOS, B.S.O. (2000). Microbiologia sanitária y ambiental. In: MENDONÇA, S.R. (2000). Sistemas de lagunas de estabilizacion. McGraw-Hill, Colombia, p.68-106, 2000.

CHRISTOFIDIS, D. Irrigação, a fronteira hídrica na produção de alimentos. Irrigação e Tecnologia Moderna, Brasília: ABID, n.54, p. 46-55, 2002.

CROOK, J. “Critérios de Qualidade da Água de Reúso”. Trad. Hilton F. Santos. In: Revista DAE, v. 174, p. 10-8, 1993.

CRUZ, V.; SALOMON, M. Crise de água pode afetar 41 milhões no Semi Árido. Folha de São Paulo publicado em 07/12/2006. Disponível em ww.seagri.ba.gov.br/noticias.asp?qact=view&notid=8407, consulta em 04/03/15.

EDWARDS, P. Reuse of human wastes in aquaculture: A technical Review. World Bank. Wasshington D.C, 1992.

FEIGIN, A.; RAVINA, I.; SHALHEVET, J. Irrigation with treated sewage efluent. Advanced Series in Agricultural Science. Ed. Spring-Verlang. Berlin – Alemanha, 1991, 216p.

FERNANDES, C. Reatores UASB: Parte 01. 2008. Disponível em: http://www.dec.ufcg.edu.br/saneamento/UASB01.html. Acesso em: 05 de agosto de 2014.

GALVÃO JÚNIOR, A.C.; MORENO.J.; MAGALHÃES C.A.C. Avaliação dos sistemas de tratamento por decanto digestores seguidos de filtros anaeróbios, em comunidades atendidas pela unidade de negócio do médio tietê – SABESP. In: Congresso brasileiro de engenharia sanitária e ambiental, 21, 2001. João Pessoa. Anais...João Pessoa: abes, 2001.

HAWKEN P, LOVINS A, LOVINS L H. Capitalismo natural: criando a próxima revolução industrial. São Paulo: Cultrix, 1999.

HESPANHOL, I. Potencial de reuso de água no Brasil: Agricultura, industria, municípios, recarga de aquíferos. RBRH - Revista Brasileira de Recursos Hídricos, V. 7, n.4, p. 75-95, 2002.

HESPANHOL, I. Potencial De Reuso De Água No Brasil, Agricultura, Industria, Municípios, Recarga De Aqüíferos, 2008. Disponível em: ww.aguabolivia.org/situacionaguaX/IIIEncAguas/contenido/trabajos_verde/TC-158.htm. Consulta em: 11/06/15.

JORNAL DA PARAÍBA. (2006). Águas residuais são utilizadas na irrigação da mamona em Campina Grande. Disponível em: http://www.biodieselbr.com/noticias/mamona/aguas-residuais-utilizadas-irrigacao-mamona-cg-20-09-06.htm. Acesso em:18 de setembro de 2014.

LIMA, J. E. F.W.; FERREIRA, R.F.A.; CRISTOFIDIS, D. O uso da irrigação no Brasil, 2004. Disponível em www.cf.org.br/cf2004/irrigacao.doc, consulta em 17/01/15.

LUIZ, J. Esgoto na irrigação. 2008. Disponível em: http://jviana.multiply.com/journal/item/24/24. Acesso: 20 de Setembro de 2014.

MANCUSO,P.C.S.; SANTOS,H.F. Reúso de água. Barueri, SP: Manole, 2007, 58 p.

MARA, D. D.; CAIRNCROSS, S. Guidelines for the safe use of wastewater and excreta in agriculture and aquaculture. Geneva: World Health Organization, 1989, 187 p.

MARTINS, G. Riscos para a saúde pública e para as empresas de saneamento básico devidos à redução do consumo de água. In:Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, 23, São Paulo, Anais ... São Paulo, SP, 2003.

MATTOS, K.M.C. Viabilidade da irrigação com água contaminada por esgoto doméstico na produção hortícula., Botucatu, Tese de Doutorado na área de concentração e drenagem , Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, SP, 2003.

MEDEIROS, S.S.DE; SOARES, A.A.; FERREIRA, P.A.; NEVES, J.C.L.; SOUZA, J.A.DE. Utilização de água residuária de origem doméstica na agricultura: Estudo do estado nutricional do cafeeiro. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.12, n.2, p.109-115, 2008.

METCALF & EDDY. Wastewater engineering: treatment, disposal and reuse. Metcalf & Eddy, Inc. 3. Ed, 1991, 1334 p.

MOTA, S.; BEZERRA, F. C.; TOMÉ, L. M. Avaliação do desempenho de culturas irrigadas com esgoto tratado. In:Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, 19, Foz do Iguaçu, Anais ... Foz do Iguaçu, PR, 1997

NOBRE, R. G.; GHEYI, H.R.; SOARES, F.A.L.; ANDRADE, L.O.; NASCIMENTO, E.C.S. Produção do girassol sob diferentes lâminas com efluentes domésticos e adubação orgânica. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 14, p. 747-754, 2010.

NUVOLARI, A. Esgoto sanitário: Coleta, transporte, tratamento e resíduo agrícola. Coordenação Ariovaldo Nuvolari. São Paulo: Edgard Blucher, 2003. 520 p.

PAGANINI,W.S. Disposição de esgotos no solo: escoamento à superfície. São Paulo, Fundo Editorial da SABESP, 1997.

PAZ, V.P.S.; TEODORO, R.E.F.; MENDONÇA, F.C. Recursos hídricos, agricultura irrigada e meio ambiente. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. Campina Grande, v. 4, n. 3, p.465-473, 2000.

PETRELLA, R. O manifesto da água: argumentos para um contrato mundial. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

POSTEL, S. Enfrentando a escassez de água. In: L. R. Brown, org. Qualidade de vida, 1993: Salve o planeta. p. 47-63. SP, Globo.

QASIM, S.R. Wastewater treatment plants: planning, design and operation. Holt, Rinehart and Winston, New York, 1985.

REBOUCAS, ALDO DA C. Água na região Nordeste: desperdício e escassez. Estud. av., Jan./Apr. 1997, vol.11, no.29, p.127-154. ISSN 0103-4014.

SANDRI, D. Irrigação da cultura da alface com água residuária tratada com leitos cultivados com macrófita. 186 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Água e Solo) - Faculdade de Engenharia Agrícola, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

SANDRI, D.; MATSURA, E.E.; TESTEZLAF, F. Teores de nutrientes na alface irrigada com água residuária aplicada por sistemas de irrigação. Eng. Agrícola, Jaboticabal, v.26, n.1,p.45-57, 2006.

SCHAER-BARBOSA, M.; SANTOS, M.E.P.; MEDEIROS, Y.D.P. Viabilidade do reuso de água como elemento mitigador dos efeitos da seca no semiárido da Bahia. Ambiente e sociedade. São Paulo, v.XVII, n.2, p.17-32, 2014.

SENTELHAS, P.C.; PEREIRA, A.R.; MARIN, F.R. et al. Balanços Hídricos Climatológicos do Brasil. DCE/ ESALQ/ USP, 1999. CD-ROM.

SHAW, R.(1999). Running water more technical briefs on health, water and sanitation. Intermediate technology publication. London, 1999.

SHENDE, G.B.”Status of Wastewater Treatment and Agricultural Reuse with Special Reference to Indian Experience and Research and Development Needs”. In: PESCOD, M.B., ARAR, A. (Ed.). Proceedings of the FAO Seminar on the Treatment and Use of Sewage Effluents for irrigation, Nicosia, Cyprus, 7-9 October, Butterworths, Londres, 1985.

SHUVAL, H.; ADIN, A.; FATTAL. B.; RAWITZ, E.; YEKUTIEL, P. Health effects of wastewater irrigation and their control in developing countries. The World Bank. Integrated Resource Recovery Project series Number GLO/80/004, 1985, 340p.

SILVA, L.C.B.; MENDONÇA, W.F.; ANDRADE NETO, C.O. Eficiência na remoção de sólidos em um decanto digestor com filtro anaeróbio acoplado, UFRN, Departamento de engenharia civil, 1997. Disponível em: http://www.ufrn.br/sites/producao_ct/sec3_8.html. Acesso: 03 de agost de 2014.

SILVA, S.M.C.P., FERNANDES, F., SOCCOL, V.T., MORITA, D.M. Principais contaminantes do lodo. In: ANDREOLI, C.V., VON SPERLING, M.,

FERNANDES, F. (2001). Princípios do tratamento biológico de águas residuárias. Vol.6. Lodo de esgotos. Tratamento e disposição final. Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental – UFMG. Companhia de Saneamento do Paraná – SANEPAR. 484p.

SNEL, Dr M. Re-use of wastewaster – Its advantages and disadvantages specifically from an institutional anda socio-cultural perspective. International Water and Sanitation Centre, Delft, The Netherlands.2002, 7p.

SOLLEY W B, PIERCE R R, PERLMANH A. Estimated use of water in the United States en 1995. Consultado em www.water.usgs.gov em 11/07/2015.

SOUSA, J.T.; LEITE, V.D. Tratamento e Utilização de Esgotos Domésticos na Agricultura. Campina Grande: EDUEP, 2002. 84p.

SOUZA, N.C. Produtividade da mamona irrigada com esgoto doméstico tratado em lagoas de estabilização. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2006.

STEIN,J.L.; SCHWARTZBROD, J. Experimental Contamination of vegetables with Helminth Eggs. Water Science and Technology.V. 22, n.9,p.51-57, 1990.

SUASSUNA, J. O gerenciamento da água no nordeste, publicado em

/05/2004 –Disponível em: www.reporterbrasil.org.br/exibe.php?id=266, consulta em 21/07/15.

SUDENE/ÁRIDAS, (1994). Recursos Hídricos do Nordeste Semi-Árido, RH/SEPLAN/PR, Brasíla.

TERADA, M.; ZUCCOLO, A.C.F.; PAGANINI, W.S. Tratamento de esgotos domésticos por disposição no solo com utilização de gramíneas. Revista DAE, v. 45, n. 142, p. 249-54, 1985.

THOMANN, R.V., MUELLER, J.A. Principles of surface water quality modeling and control. Harper International Edition. 1987, 644 p.

TSUTIYA,M.T. Uso agrícola dos efluentes das lagoas de estabilização do estado de São Paulo. In: Congresso brasileiro de engenharia sanitária e ambiental, 21, 2001, João Pessoa. Anais ... João Pessoa: ABES, 2001.

TUCCI, C. E. M. Gestão da água no Brasil – Brasília : UNESCO, 2001.156p.

TUNDISI, J. G.; TUNDISI, T. M. A água- Folha explica. Ed. Publifolha. São Paulo. 2a.edição, 2009. 128p.

VAN HAANDEL, A. C., LETTINGA, G. Tratamento Anaeróbio de Esgotos: Um Manual para Regiões de Clima Quente, Epgraf, Campina Grande, 1994, 240 p.

VON SPERLING, M. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 3. Ed. Belo Horizonte: Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental, Universidade Federal de Minas Gerais, 2005, 452 p.

WERNECK, J.E.F.L.; FERREIRA, R.S.A.; Christofidis, D. O estado das águas no Brasil. Perspectivas de gestão e informação de recursos hídricos. Geneva: Organização Meteorológica Mundial. 1999, 334p.

WINPENNY, J.; HEINZ, I.; KOO-OSHIMA, S. The wealth of waste: the economics of wastewater use in agriculture. FAO Water Reports. Roma. 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 REVISTA GEAMA

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.